fbpx

Segundo o Empresotômetro, temos cerca 21.793.794 empresas ativas no Brasil¹, o que nos leva a pensar: quem são essas pessoas e quantas delas são mulheres empreendedoras? Por que elas resolvem empreender? Como é a vida dessas mulheres?

O Panorama das Chefes de Família

Que em muitos casos a mulher é chefe de família, não é novidade pra ninguém, segundo o IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) subiu de 23% para 40% em 20 anos, o número de lares brasileiros chefiados por mulheres. A grande questão é: mulheres ganham menos que os homens em todos os cargos (no cargo de consultor, segundo pesquisa da Catho (2017), homens chegam a ganhar 62,5% a mais que as mulheres), trabalham muito mais (7,5 horas a mais que eles por semana em suas jornadas de trabalho), segundo pesquisa do IPEA (2015) 90% dessas mulheres realizam as atividades domésticas e possuem uma participação de 55,3% no mercado de trabalho.

Ou seja, as mulheres têm menos participação no mercado de trabalho, mesmo ganhando menos e trabalhando mais são responsáveis pelo sustento do lar, em 34% dos casos também do marido, e a gritante maioria ainda tem que dar conta sozinha das tarefas domésticas e filhos.

Esses dados são assustadores, não é mesmo? Mas eles são necessários para começarmos a falar da mulher no mundo dos negócios, a mulher empreendedora e como nós, mulheres, podemos crescer e ter o nosso próprio negócio, mesmo com uma deficiência enorme de equidade de gênero não apenas no Brasil, mas no mundo inteiro.

Perfil das mulheres empreendedoras

Segundo o levantamento (2016) do RME (Rede Mulher Empreendedora), as mulheres representam 43% dos empreendedores do Brasil (um aumento de cerca de 1% por ano nos últimos 14 anos), 55% possuem filhos, 44% são chefes de família e 75% resolveram ter o próprio negócio por conta da maternidade. A maioria tem ensino superior completo, são brancas e 39% possui ajuda de outra pessoa para gerir o seu negócio.

O debate que precisamos levantar baseado nesses dados é: e as outras mulheres? Se pararmos para pensar muitas empreendedoras resolvem ter o próprio negócio após ter filhos. Mas porque?

Uma pesquisa de 2017 revela que a maioria das mulheres tem dificuldade de voltar ao mercado de trabalho após serem mães, isso porque maternidade no mercado de trabalho ainda é um tema muito complexo. Em um estudo intitulado “Mulheres e o Mundo Corporativo”, realizado em abril de 2017 e publicado pela Robert Half, foi constatado que depois de retornarem do período de licença-maternidade, apenas 53% das mulheres reassumem suas atividades profissionais.

As mulheres negras por sua vez, enfrentam uma situação muito mais complexa, pois o mercado de trabalho ainda é injusto e excludente para negros, quando falamos em mulheres negras é mais excludente e mulheres negras que são mães, mais ainda.

Nesse caso as mulheres de uma forma geral, cada vez mais enxergam no empreendedorismo uma maneira de prover a sua casa e conseguir uma renda para ter melhor qualidade de vida. E elas estão certíssimas! Se tenho uma primeira dica para dar para as mulheres que já empreendem ou querem empreender é: não tenha medo! Claro que o caminho do empreendedorismo não é fácil, mas com dedicação e ajuda de outras mulheres empreendedoras, cursos, planejamento e consultoria tudo se torna mais fácil e com muita força de vontade tudo é possível. Você pode e merece tudo que quiser!

Para te ajudar no caminho do empreendedorismo, no nosso próximo artigo vamos dar dicas importantes para você que quer empreender ou você que já é mulher empreendedora e quer melhorar a gestão do seu negócio e crescer em 2018.

_______________________________________________________________

¹Dados colhidos em fevereiro de 2018

Escrito por: Vanessa Fontes