fbpx
As armadilhas do marketing para afiliados

As armadilhas do marketing para afiliados

O Marketing de afiliados costuma atrair muita gente com a promessa de ganhar dinheiro rápido e de forma fácil, com baixo investimento financeiro e intelectual, visto que você não precisa criar absolutamente nada se não desejar, podendo trabalhar com produtos de terceiros, mas a verdade é que o marketing de afiliados é mais que isso. 

Basicamente o marketing de afiliados é um meio de se ganhar dinheiro com um blog próprio, ou fazendo publicações em redes sociais, ou ainda, criando infoprodutos, como cursos online ou e-books. 

E se ainda assim, você não tem um blog com bons conteúdos ou não quer criar nenhum tipo de infoproduto, você pode começar vendendo infoprodutos de terceiros. 

A grande vantagem de criar infoprodutos é a possibilidade de fazer vendas passivas, ou seja, vendas que não exigirão nenhum tipo de ação ou promoção da sua parte. Isso é possível?

Sim, é possível, mas não é uma receita de bolo, o que funciona para uma pessoa pode não funcionar para você e o mais importante, para conseguir ter uma renda proveniente de infoproduto que gera vendas passivas é preciso ter um bom site, um bom blog, investir em redes sociais, entender e conhecer seu produto e seu público e isso não ocorre do dia para noite. 

Não caia nestas armadilhas: 

  • Fuja de propostas que prometem dinheiro em pouco tempo. 
  • Propostas de renda compartilhada nada mais são que esquemas de pirâmide, você vai começar na base, dando dinheiro para quem está em cima.
  • Não acredite cegamente em cursos que prometem te ensinar a ganhar dinheiro rápido, a maioria desses cursos são apenas infoprodutos sendo vendidos por várias pessoas que também estão iniciando e querem sair da base da pirâmide e colocar você no lugar delas.
  • Outro erro comum de iniciantes em marketing de afiliados: ignorar métricas. 
  • Não testar assiduamente seu infoproduto: grande parte do sucesso vem dos testes, é com eles que você aprende o que funciona melhor para o seu produto. 
  • Se você é iniciante, não escolha infoprodutos que estejam muito em alta, são muito consumidos, mas também são muito concorridos. Prefira algo que converse melhor com a sua audiência e que você tenha mais afinidade. 
  • Produzir conteúdo de baixa qualidade ou que foque apenas em anunciar seu produto. A chave do sucesso para o marketing digital é a criação de conteúdos que realmente façam a diferença para a sua audiência.

Resumidamente, trabalhar com marketing de afiliados é um bom negócio se você possui conhecimento em SEO, Inbound Marketing, tem tempo e disposição para investir em um blog ou site, gerar bons conteúdos e se dedicar a analisar seu tráfego, seu público, conhecer sua audiência e trabalhar suas redes sociais. 

E se você tem tempo e disposição para fazer isso tudo, você terá bons resultados, seja com anúncios ou com bons infoprodutos, mas de forma mais gradativa. 

Se você quer entrar para o universo de marketing de afiliados comece estudando sobre as plataformas, os mecanismos de buscas, SEO, técnicas para elaborar um bom conteúdo ou um bom infoproduto, além, de ter em mente que isso vai tomar uma parte considerável do seu tempo e que os resultados não chegam do dia para a noite. 

Redação e revisão Vanessa Fontes

Como fazer tráfego pago

Como fazer tráfego pago

Definimos no post anterior o que é o tráfego pago e qual a importância que ele tem na sua estratégia de marketing e porque deve ser utilizado, porém, você sabe como fazer o tráfego pago?

Nesse post vamos dar algumas dicas de como fazer o tráfego pago e como gerar resultados através dele. 

Basicamente tráfego pago é atrair visitantes através de anúncios publicitários feitos em determinadas plataformas, como o  Google Ads, mas não basta patrocinar um anúncio e pensar que automaticamente  isso vai se converter em vendas ou mais leads para sua página. 

Uma das principais funções do tráfego pago é colocar seu site na primeira página dos mecanismos de busca e com isso conseguir mais visitantes, em especial de potenciais consumidores da sua marca. 

Quando você patrocina um anúncio, sempre que alguém digitar a palavra-chave escolhida por você, seu anúncio aparecerá no topo da página do Google com a tag Anúncio antes da url, e quando o usuário clicar será direcionado para a página de destino do anúncio, é nessa hora que você será cobrado pelo clique, caso essa seja a modalidade escolhida. 

Além do pagamento por clique, existe o pagamento por mil impressões, esse é mais indicado para quem quer aumentar a visibilidade da página e da marca. A escolha entre um e outro vai depender do seu objetivo e da sua estratégia. 

Defina o objetivo da sua estratégia.

Antes de colocar a mão no bolso, tenha clareza do que quer alcançar:

  • Ganhar mais visibilidade para sua marca.
  • Conseguir mais leads.
  • Gerar vendas. 
  • Aumentar o número de visitas do seu site.
  • Conseguir mais seguidores para suas redes sociais. 
  • Alavancar uma oferta específica. 

Com o objetivo definido é hora de pensar na estratégia para alcançá-lo

Isso requer um bom planejamento antes de começar a veicular o anúncio. Defina como será feito esse anúncio, 

  • Texto: invista em um bom texto ou copy
  • Se for utilizar imagens, escolha imagens com boas resoluções.
  • Vídeos precisam ser bem elaborados e que tenham a capacidade de prender a atenção do consumidor. 
  • Qual vai ser a call to action do seu anúncio?

Claro que muitas dessas decisões serão tomadas de acordo com a plataforma que você escolher para veicular o anúncio.

  1. Google Ads

A plataforma mais utilizada para tráfego pago é o Google Ads, os anúncios costumam aparecer no topo da página ou na lateral do buscador e de sites parceiros do Google. 

A grande vantagem dessa plataforma é poder escolher pagar somente quando o usuário clicar no seu anúncio, além disso, o Google Ads permite que você faça diversos testes com várias palavras chaves, tipos de textos e chamadas, isso vai te ajudar a identificar o que funciona melhor para o seu perfil e o público que deseja atingir. 

2.           Facebook Ads

No Facebook Ads você poderá criar anúncios com imagens, textos e vídeos que serão veiculados dentro da rede social para o seu público potencial. A maior vantagem dessa plataforma é conseguir segmentar de forma bastante específica o público alvo. Você poderá definir localidade, gênero, idade, profissão, interesses, renda, status de relacionamento dentre outras opções. 

3.           Instagram Ads

O Instagram se tornou a vitrine de muitas marcas,  por isso é tão concorrido, a plataforma oferece anúncios que podem conter vídeos, músicas, textos, carrossel de fotos e imagens, além disso, é possível anunciar no Stories e no Instagram Shopping. A plataforma é conectada com o Facebook, o que ajuda a otimizar sua estratégia, permitindo que o mesmo anúncio seja veiculado nas duas plataformas. 

4.           YouTube Ads

O Youtube Ads é voltado para quem produz conteúdos em vídeos, e deve ser levado em consideração, já que o padrão de consumo de entretenimento mudou muito nos últimos anos e o YouTube se tornou a nova televisão de muita gente. 

Essa é a plataforma ideal para quem vende cursos, palestras, workshops e outros produtos em formato de vídeo. 

5.           Linkedin Ads

Menos usada, mas não menos importante, o Linkedin Ads é uma excelente plataforma para gerar leads e contatos entre empresas. Se o seu produto ou marca tem como público outras empresas essa pode ser a plataforma indicada. 

Embora os preços aqui sejam mais salgados que em outras plataformas, com o mínimo de R$20 por dia para investimento, vale lembrar que se sua ação for bem planejada e segmentada pode gerar excelentes resultados dentro do Linkedin. 

Resultados

Independente da plataforma escolhida e da estratégia que você traçou para seu anúncio, é importante investir em análise, investir em tráfego pago não significa que esses usuários alcançados por seus anúncios se converteram em vendas. 

É fundamental ter um bom conteúdo, não adianta investir pesado em anúncio se não tem um site bem construído, responsivo, bons textos, boas imagens e um layout agradável. 

Resumindo, não adianta investir dinheiro em tráfego pago se você não tem o que mostrar para esse usuário, antes de pensar no tráfego pago, é preciso analisar se o que você tem para oferecer ao usuário vale o investimento em anúncios pagos. 

E nessa hora é preciso honestidade consigo mesmo, se o seu site não está legal, suas redes sociais estão defasadas, os conteúdos pobres de informações relevantes, talvez seja a hora de investir nisso, para depois pensar no tráfego pago. 

E por fim, analise sistematicamente as métricas dos seus anúncios, acompanhe os relatórios disponibilizados pelas plataformas para entender se o seu investimento está valendo a pena e o que precisa ser melhorado para que o resultado seja mais satisfatório. 

Gostou do conteúdo? Acesse nosso blog para ficar por dentro das tendências e novidades sobre tecnologia, marketing digital e mídias sociais.

Redação e revisão Vanessa Fontes

O que é tráfego pago

O que é tráfego pago

Você sabe o que é tráfego pago? É aquele modelo de tráfego onde você investe um determinado  valor em ferramentas de buscas, como o Google ou Facebook Ads, para que sua página tenha maior visibilidade e consiga converter vendas de forma mais rápida. A grande vantagem desse tipo de tráfego é permitir que você segmente melhor suas campanhas e consiga resultados mais assertivos.  

Existem dois tipo de tráfego: o tráfego pago e o tráfego orgânico, e não há um consenso sobre um ser melhor que o outro, mas ambos são importantes e geram resultados mas por caminhos diferentes. 

A grande diferença entre tráfego pago e tráfego orgânico é o orçamento, no primeiro você precisa ter recursos disponíveis para poder investir em anúncios, no segundo isso é feito de forma mais estratégica com conteúdos que geram engajamento e fortalecem o elo entre marca e consumidor, porém, esse pode ser um caminho bem mais longo. 

Independente do modelo de tráfego escolhido, você precisará investir na criação de bons conteúdos, boas imagens e estratégias alinhadas com o seu público de interesse, lembrando que não é porque você investe em tráfego pago que não precisa investir nas estratégias para tráfego orgânico. 

O ideal seria ter o resultado e conversão gerados pelo tráfego pago de forma orgânica, porém, isso só é atingível em um cenário de longo prazo. Se você tem pressa em fazer conversões e gerar resultados mais significativos em um espaço de tempo mais curto, a opção é separar um orçamento maior e partir para o tráfego pago. 

Vantagens do tráfego pago

A maior vantagem do tráfego pago é conseguir mensurar o quanto quer gastar versus o resultado que quer atingir, e claro, a maior vantagem desse tipo de tráfego é a rapidez de resultados. 

A mesma ação feita de forma orgânica levaria muito mais tempo para gerar os mesmos resultados que decorrem do tráfego pago, como dito anteriormente, o ideal é ter uma estratégia que mescle tráfego orgânico com tráfego pago, tendo em mente que um é para alavancar o seu negócio agora e converter vendas, o outro é algo que precisa ser alimentado de forma contínua para que dê resultados no futuro e você possa eventualmente ir diminuindo o investimento em tráfego pago.  O caminho mais sustentável é alimentar o tráfego orgânico pensando nos leads do tráfego pago, não adianta você conseguir atrair público se o seu conteúdo não engaja, não é interessante, seu site está ultrapassado e não passa uma imagem profissional adequada. 

Pense que se você fosse visitar um comércio e a loja física estiver descuidada, bagunçada e o atendimento confuso, dificilmente  você fecharia a venda ou voltaria, o mesmo vale para o seu site, ele é seu cartão de visitas. 

Abaixo, algumas vantagens em se trabalhar com tráfego pago: 

  • Resultados mais rápidos se houver uma campanha bem planejada.
  • Capacidade de segmentar melhor o direcionamento da sua campanha. 
  • Possibilidade de iniciar com valores que cabem no seu bolso. 
  • Taxa de conversão

Essas são apenas algumas das vantagens, e por incrível que parece, não é necessário investir rios de dinheiro em tráfego pago logo de início, a maioria das plataformas oferecem ferramentas nas quais você define quanto quer pagar por clique ou por visualização, resumindo, você pode criar campanhas que realmente caibam no seu bolso. 

Independente de estar trabalhando  com tráfego pago ou orgânico é fundamental que você siga algumas diretrizes que vão ajudar a te impulsionar e consequentemente gastar menos tempo e dinheiro na obtenção de resultados significativos. 

  • Invista em um bom site.
  • Um bom site precisa ser responsivo (mobile).
  • Escolha um layout limpo, intuitivo e de fácil leitura.
  • Pesquise bastante quais palavras chaves favorecem melhor seu negócio.
  • Saiba programar corretamente o público-alvo das suas campanhas. 

Essas são práticas que te poupam dinheiro e tempo no futuro, nada pior para o seu tráfego que um site mal diagramado, com muitos anúncios, cheio de banners, fontes cansativas, fundos muito coloridos ou escuros e menu difícil de navegar. 

E claro, para resultados mais duradouros é fundamental que o seu trabalho de marketing digital não pare nunca, o segredo do bom marketing digital está na consistência. Não adianta fazer uma postagem patrocinada, gastar com isso, ter um bom resultado e depois passar uma semana sem publicar absolutamente nada no seu feed, ou no seu blog ou no seu site. 

Dentre todas as opções que o mundo digital oferece para impulsionar o seu negócio ou produto, o tráfego pago é o que tem maior capacidade de resultados e conversão, por isso é importante investir nele, sem jamais deixar de alimentar suas páginas com bom conteúdo e boas campanhas para que um dia, no futuro, esse mesmo resultado pelo qual você paga hoje, venha de forma gratuita através do tráfego orgânico. 

Continue acompanhando nossos conteúdos, em breve publicaremos um artigo exclusivo sobre como fazer o tráfego pago e quais as melhores estratégias para esse modelo. 

Redação e revisão Vanessa Fontes

O que é copy e porque ela é tão importante para o seu negócio no digital

O que é copy e porque ela é tão importante para o seu negócio no digital

Você realmente sabe o que é copy e qual a sua real importância para efetivação de suas vendas? É comum o copy ser confundido com redação publicitária, mas a verdade é que são coisas distintas, o objetivo exclusivo do copy é conversão, já a redação publicitária passa por outros caminhos do marketing digital. 

Dentro do inbound marketing o objetivo é entender como os usuários de redes sociais e internet no geral consomem e como podem se tornar seus clientes. Nesse ponto temos o modelo de funil de vendas, onde existe um texto de entrada, textos de meio de funil e o copy ao final. Nesse modelo você atrai visitantes com os textos de topo de funil; identifica e reconhece problemas com os textos de meio de funil; e oferece a solução em forma de venda com o copy, ao final do funil. 

Dentro do marketing digital a conversão pode ser entendida como download de um material, inscrição de um e-mail ou uma venda efetiva, tudo isso depende do objetivo da campanha.  É comum empresas criarem landing pages para angariar e-mails e criar uma base de dados para futuramente utilizar em outras campanhas. 

Qual o objetivo da copy? 

O principal objetivo da copy é levar o usuário a fazer uma caminhada pelo seu produto ou objetivo, conhecendo, criando a necessidade e  satisfazendo-a. A conversão pode vir inclusive em textos de topo de funil, quando se coloca ao final uma chamada ou uma call to action. 

O que é um copy? 

Copy é uma técnica de redação que objetiva a persuasão com o uso de gatilhos  que levam o usuário a tomar a decisão de compra de um  determinado produto.  

Um bom copy levará a sua audiência a se engajar com seu produto e a comprá-lo ao final do funil de vendas, ou se interessar por um anúncio seu em alguma rede ou canal que esteja acompanhando. 

A copy perfeita consegue conectar o seu produto com as necessidades e emoções dos usuários, e aí é feita a venda real. É um erro comum patrocinar um anúncio sem pensar em copy, apenas acreditando que as pessoas na internet vão comprá-lo porque estão online para comprar. Não, as pessoas, em geral, estão na internet trabalhando, lendo, conversando, acompanhando notícias e visualizando aquilo que é interesse delas, e eventualmente compram, mas apenas se sentirem atraídas ou necessidade de comprar aquilo que estão vendo. 

Por isso o copy precisa ser bem pensado e bem feito, você tem a oportunidade de criar e atender uma necessidade que o usuário ainda não havia identificado que tinha, e se você conseguir despertar o interesse dele, ele vai clicar no seu anúncio e pode decidir pela compra. 

Um copy bem feito fará a venda sem que o usuário perceba que está cedendo apenas a um apelo de consumo, ele sentirá um desejo sendo atendido, uma necessidade sendo sanada. 

Mais de 80% das vendas online acontecem através de copys e não importa se você é iniciante ou experiente quando o assunto é criar copies matadores, sempre é possível melhorar, e para isso, ter autoridade no assunto é fundamental, seja a sua ou de outras pessoas, no caso de quem trabalha com afiliados. 

E como se tornar uma autoridade? Produzindo conteúdo de qualidade que consiga gerar valor para quem lê. 

Junto com a autoridade vem reciprocidade, normalmente as pessoas gostam ou sentem que devem retribuir você de alguma forma quando sentem que forma beneficiadas pelo seu conteúdo 

Por isso é tão fundamental que você se coloque no lugar do seu cliente quando estiver criando conteúdo, mostre que aquele problema ou necessidade pelos quais estão passando, você também passou/resolveu, superou e/ou tem a solução para isso. 

Mostre que você sabe o que está falando com assertividade: 

  • Ache o problema que você vai resolver.
  • Entenda profundamente o que você está oferecendo.
  • Desperte a emoção do usuário. 

Por fim, os gatilhos mais utilizados: 

  • Crie reciprocidade
  • Ofereça algo único ou garantias, como dinheiro de volta. 
  • Prova social, mostre seus resultados e dos seus clientes . 
  • Autoridade: as pessoas confiam em pessoas que sabem o quê e do quê estão falando.
  • Escassez: crie o sentimento de que essa é uma oportunidade única, e que se for perdida, não haverá outra. 

Mais importante que entender sobre marketing digital e gatilhos, é entender o seu produto e o seu cliente. 

Redação e revisão Vanessa Fontes

Como usar as redes sociais para vender

Como usar as redes sociais para vender

Criar um conteúdo de qualidade e fazer um bom marketing para empresas pode ser desafiador, ainda mais quando se tem uma gama gigantesca de conteúdo de entretenimento relacionado aos mais diversos assuntos, mas isso não significa que sua marca não pode surfar na onda do conteúdo de entretenimento e usá-lo em suas redes sociais para vender. 

Quando pensamos nas diferentes plataformas de redes sociais conseguimos identificar o padrão de comportamento de cada uma dela: 

De todas as plataformas, essa pode ser a mais difícil de trabalhar com conteúdo de entretenimento, em contrapartida, é a plataforma ideal para se fazer o marketing da sua empresa trabalhando com post e publicações que  mostram as ações que sua empresa promove, além de trabalhar com posts sobre endomarketing e conteúdo voltado para gestão de pessoas. 

O Instagram é a plataforma perfeita para engajar e gerar um bom relacionamento com seus clientes, usar memes e assuntos atuais de forma divertida e criativa pode ajudar sua marca a se destacar. O importante dentro do Instagram é diversificar o formato do conteúdo, aproveitar ao máximo as opções que a plataforma oferece e não ficar preso apenas em publicações de feed de notícias ou a venda de produtos. Use e abuse dos stories, faça lives, promova enquetes e poste vídeos curtos. Nesta rede social o relacionamento é fundamental 

Essa é a plataforma perfeita para trabalhar com memes e assuntos que estão bombando no momento. No Twitter o importante é o timing da publicação, visto que, é uma plataforma de consumo de conteúdo rápido, frases curtas e o assunto que está bombando de manhã pode não ser o mesmo que vai engajar de tarde. Procure ser criativo e se atente no modo como vai se comunicar. No Twitter é fácil cometer erros de comunicação e se queimar, e como sabemos o público não perdoa. Evite situações dúbias ou constrangedoras por erro de comunicação. 

Considerado hoje a plataforma mais careta, ainda atrai seguidores e serve como ponto de apoio e atendimento online de muitas marcas, mesmo estando em baixa no momento, toda grande marca mantém uma página ativa no Facebook, afinal ele serve de suporte para publicações patrocinadas para outras plataformas e ajuda a mensurar seu público e a organizar suas campanhas e posts patrocinados. Apenas evite textos ou vídeos muito longos, aqui, o que vale é a qualidade do conteúdo. 

Uma das maiores plataformas e uma das mais usadas, o YouTube se tornou a nova televisão de muita gente que abriu mão de assistir os canais abertos e quer mais liberdade para escolher o conteúdo que quer consumir e quando consumir. Manter um canal no Youtube pode ser trabalhoso, mas sem dúvida é uma forma consistente de engajar sua marca e comunicar diretamente aos seus consumidores quais são seus valores e o que a sua marca representa. 

Relativamente novas essas duas plataformas são voltadas apenas para vídeos entre 30 e 60 segundos e o público que utiliza tende a ser mais jovem, mas há espaço para todos e essa é a plataforma perfeita para comunicar de forma leve, criativa e divertida os valores de sua marca e com isso conquistar um público mais antenado para sua marca. 

Trabalhar com redes sociais exige atenção, o que vai super bem em uma plataforma pode não engajar em outra, mas o mais importante é ter uma postura e uma comunicação de valores e princípios unificados. O formato do conteúdo pode ser diverso, mas a mensagem precisa ser coerente em todas as plataformas: a foto do Instagram precisa passar uma mensagem em consonância com o vídeo do TikTok e o meme utilizado no Twitter. 

Ser divertido, saber usar memes e assuntos do momento ajuda o marketing da sua empresa a comunicar que vocês são humanizados, engajados e antenados. É muito mais fácil identificar e memorizar uma marca que sabe trabalhar com atualidades e se engaja com elas, isso aproxima o público da marca. 

Esqueça posts e textos chatos que falam apenas de seus produtos e serviços, os usuários sabem que você é uma empresa e quer vender algo a eles, o que você precisa é ser lembrado quando esses usuários quiserem consumir, e para isso você deve dar bons  motivos para o público escolher a sua marca.  

É muito mais fácil optar por uma empresa com a qual nos engajamos  e nos identificamos. É dessa forma que o seu negócio vai conseguir usar as redes sociais para vender. 

Redação e revisão Vanessa Fontes

Compras direto no WhastApp começam a funcionar: Veja como vai funcionar e prepare sua empresa para esta novidade

Compras direto no WhastApp começam a funcionar: Veja como vai funcionar e prepare sua empresa para esta novidade

Agora é real! O WhastApp liberou no último dia 10 de novembro, um novo recurso que vai estreitar ainda mais a relação entre empresas e clientes, principalmente aquelas que usam a plataforma para realizar estratégias de marketing e efetivar negócios. Trata-se do “Botão de Compras”, que se parece com uma fachada de loja, e que vem para substituir o ícone de chamadas de voz e dar acesso direto ao catálogo de produtos das empresas que aderirem à novidade. Para encontrar o botão de chamada de voz, basta tocar no botão de chamadas para selecionar uma chamada de voz ou vídeo.


Mas antes que você se empolgue, é bom saber que o novo recurso só aparece no chat de empresas que usam a versão de negócios do WhatsApp, o WhastApp Business.


Se você ainda não aderiu a ele, está perdendo tempo, afinal, a versão comercial do aplicativo oferece ferramentas exclusivas para aprimorar a comunicação das empresas com os clientes, permitindo a organização das conversas e a oferta dos produtos de forma profissional. Entre as funções, está a possibilidade de criar um perfil com informações completas do negócio, elaborar um catálogo de produtos e marcar conversas com etiquetas por categoria.


Agora então, com o “Botão de Compras”, ficou ainda mais difícil resistir ao WhatsApp Business. É que com esse botão, as pessoas agora conseguem encontrar o catálogo de produtos ou serviços da empresa sem que precisem clicar no perfil dela para confirmar se há algum catálogo disponível.


A boa notícia é que o recurso, que foi lançado de olho nas compras de final de ano, já está disponível para os usuários que já usam a versão mais atual do aplicativo. Se para você então ainda não apareceu a opção, atualize o WhatsApp para uma versão mais recente. Ainda será possível realizar chamada de vídeo, selecionando o botão de chamadas e, depois, escolhendo se quer chamada de voz ou vídeo.


O “Botão de Compras” também pode ser usado tanto pelo celular, quanto no computador, na versão do WhatsApp Web. Então, assim como foi feito no aplicativo, basta clicar no botão da “loja” e escolher um produto de seu
catálogo para começar a falar e negociar.

Gostou da novidade? Agora é só colocar em prática e começar a explorar todo o potencial que o WhatsApp Business tem a oferecer.