fbpx

Empreender está longe de ser uma receita de bolo de fubá e não existe uma causa específica que pode justificar a falência de uma empresa. O que podemos concluir é que, o tempo de maturação de qualquer projeto é longo e o começo de um empreendimento é sempre uma corda bamba: sua empresa não tem nome no mercado, as pessoas não conhecem o seu produto, de modo que, qualquer deslize pode resultar em queda, e uma queda no começo de um empreendimento, pode ser fatal.

Para te ajudar na aventura de empreender, separamos alguns fatores que podem influenciar na falência de um negócio e se você está lendo esse artigo, posso dizer, que já subiu um degrau do sucesso. Um dos maiores problemas dos empreendedores é não buscar conhecimento, não buscar ajuda e pensar que seu negócio é blindado, que milagrosamente vai se vender sozinho. Isso não existe.

Fatores que podem levar uma empresa à falência:

1. Planejamento

Não tem conversa. Se você não se planejar, não saberá onde quer chegar e como fazer para chegar e quem não sabe onde quer chegar, não vai a lugar algum. Daí você vai me dizer, “mas eu tenho todas as ideias na cabeça”, não é suficiente. Na cabeça sempre criamos um mundo sem obstáculos, é uma linha reta. Porém, eu sinto dizer, no dia a dia não é nesse tom que a banda toca. Coloque tudo no papel.

Tipos de planejamento

Planejamento Estratégico

  • Envolve financeiro, marketing, RH e produção;
  • Estratégias a longo prazo;
  • Define objetivos gerais da empresa;
  • Traça estratégias para atingir os objetivos.

Planejamento Tático

  • Gerenciamento de recursos;
  • Estratégias a médio prazo;
  • Criação de medidas para alcançar os objetivos gerais e atender as estratégias criadas no planejamento estratégico.

Planejamento Operacional

  • Aplicação das estratégias do planejamento estratégico e tático;
  • Estratégias a curto prazo;
  • Define objetivos e resultados específicos de cada estratégia.

2. Inovação

Para o pai do marketing, Philip Kotler, faz diferença quem é proativo, quem antevê os anseios dos clientes e consegue se antecipar às mudanças. A verdade é que a inovação é um dos principais fatores que mantém uma empresa viva, se você não inova, certamente virá uma empresa mais preparada e atenta às novidades que você. Um exemplo muito conhecido de empresa que perdeu o bonde é o da Kodak. Uma gigante do mercado fotográfico que na década de 70 nos EUA, chegou ser responsável por 80% das vendas de câmera e 90% da venda de filmes fotográficos. No Brasil também era líder do segmento. A Kodak inclusive foi a grande precursora da câmera digital, mas acabou não dando o devido valor ao projeto digital que anos depois seria o principal responsável por sua falência.

3. Informação

Como foi dito lá no começo, infelizmente muitos empreendedores e gestores não investem em capacitação e pior ainda, não buscam saber o que está sendo feito pela concorrência, o que o público está comprando e como ele está comprando. Muitos empreendedores não vão atrás de quem sabe fazer e acreditam que treinamento é luxo. Não seja esse tipo de empreendedor. Se você tem dúvidas sobre algo, vá atrás de ajuda; busque conhecimento para seu negócio; invista em capacitação. Empresas e empreendedores bem preparados chegam mais longe e tem vantagem competitiva perante a concorrência.

4. Mão na massa

Uma coisa muito importante: empreendedores, cuidem de seus negócios! Você precisa conhecer todos os processos, conhecer as pessoas que trabalham com você, saber como cada estratégia está sendo executada. É claro que em algum momento da vida de seu negócio toda essa entrega não será possível. Provavelmente quando esse momento chegar, você terá conhecimento amplo e um time capacitado e de confiança, mas isso só vai acontecer se você construir essa rede de confiança, se você colocar a mão na massa.

Artigo por: Vanessa Fontes, redatora publicitária